O que é o índice de inadimplência e como ele afeta a gestão escolar?

Inadimplência-escolar

O que é o índice de inadimplência e como ele afeta a gestão escolar?

Toda escola é uma empresa e, como tal, precisa de recursos para a execução dos seus trabalhos, pagamento de despesas e custos, investimento e, claro, gerar lucro.

Para esse tipo específico de empreendimento, as matrículas e mensalidades correspondem a quase a totalidade da receita, o que torna o índice de inadimplência escolar um problema muito sério para a gestão. Ou seja, para a gestão administrativa de uma instituição de ensino, atentar-se a esse fator é essencial para verificar a saúde financeira da escola. Afinal, os indicadores de inadimplência são um bom termômetro para avaliar várias questões, desde as mais óbvias, como o quanto a escola recebe efetivamente ao mês, até mais complexas, como a política de precificação adotada.

Para lidar com esse potencial problema, confira, a seguir, o que significa a inadimplência financeira e como ela afeta diretamente a gestão escolar!

 

Saiba mais:

Você sabe o que é o pagamento recorrente?

Entenda como cobrar um cliente de forma educada e profissional

Notificação de cobrança por e-mail e SMS: entenda como essa prática pode reduzir a inadimplência na sua escola

 

O que é o índice de inadimplência?

O índice de inadimplência escolar nada mais é que o percentual de alunos que está com atraso no pagamento das mensalidades. Esse indicador é medido de acordo com o universo de estudantes, e deve ser calculado para que seja possível pensar em estratégias para reduzi-lo ao máximo e garantir a saúde financeira da sua escola.

Há diversos motivos que podem levar ao aumento do índice de inadimplência escolar, desde os mais simples — como o mero esquecimento de pagar a mensalidade em dia ou a falta de opções de formas de pagamento — como mais profundos, seja a crise econômica que afetou o estudante e sua família ou a precificação inadequada por parte da própria escola.

Logo, é imprescindível se atentar aos indicadores de inadimplência e, com bases nessas informações, entender como tratar os dados obtidos, a fim de conseguir lidar com a questão dentro da gestão da escola e garantir melhores resultados.

Como esse índice afeta a gestão escolar?

As matrículas e mensalidades são praticamente a forma exclusiva de receita de escolas. É com base no número de alunos e, por conseguinte, no valor das mensalidades, que são criados os planos de ação escolar e que é feito o planejamento financeiro da instituição. Quando o índice de inadimplência sobe, falta recursos. A falta de recursos, por sua vez, leva a toda uma série de problemas administrativos.

Todo negócio, inclusive escolas, fazem uma projeção de receita. É com esses números que é possível verificar os insumos que deverão ser adquiridos, contabilizar o aporte financeiro para pagamento das despesas fixas, projetar os gastos variáveis, programar investimentos, além de retirar o lucro.

Quando a inadimplência estudantil aumenta, todo o planejamento financeiro fica prejudicado e pode vir a comprometer o funcionamento da instituição como um todo, especialmente nas contas a pagar e no fornecimento dos materiais ou, em casos mais graves, na folha de pagamento e insumos básicos. Uma alto índice de inadimplência, quando não tratado, pode até mesmo levar ao fechamento da escola e gerar graves prejuízos.

 

Qual é o percentual máximo de inadimplência aceitável?

Em um cenário ideal, não haveria inadimplência estudantil. No entanto, é virtualmente impossível conseguir chegar a zero nesse indicador. Por quaisquer dos motivos listados anteriormente, o mais provável é que toda a escola tenha que lidar com um certo nível de inadimplentes.

Com base nisso, é possível programar-se inclusive para lidar com as contas fora deste percentual, considerá-lo na precificação, precaver-se quanto a essa ausência de recursos e estabelecer um parâmetro máximo em que esse indicador seja viável para o negócio.

Considera-se, em termos de gestão administrativa e financeira, que o percentual máximo de inadimplência aceitável é de 5%. Até esse patamar, é uma situação esperada e considerada dentro do gerenciável. Um percentual entre 5% e 10% exige atenção, e é preciso identificar os fatores que estão levando à subida desse indicador. Por sua vez, um percentual superior a 10% demonstra uma situação grave que precisa ser urgentemente tratada, pois é um forte indício de um problema mais profundo.

Como um sistema de gestão ajuda a evitar a inadimplência escolar?

Uma das melhores armas para combater a inadimplência escolar é usar um sistema de gestão integrado de relacionamento com o consumidor, ou CRM — sigla em inglês para Customer Relationship Management. Há diversas vantagens em utilizá-lo, podendo resolver em grande medida a questão e diminuir os indicadores.

Em primeiro lugar, um sistema de gestão pode gerar relatórios úteis para identificar quem são os alunos inadimplentes, a taxa de inadimplência e o tempo que cada um está sem pagar. Inclusive, é possível, assim, determinar o passivo de crédito e o histórico de pagamento de forma fácil e automatizada, sem risco de erro humano.

Um sistema de gestão também pode ser configurado para disparar alertas e cobranças prévias para os alunos, enviar os boletos de pagamento atualizados e lembretes da data com antecedência – desta forma é possível evitar o atraso e diminuir os índices.

O sistema também é capaz de obter informações relevantes que podem ajudar a oferecer acordos ou descontos para alunos inadimplentes, de acordo com a capacidade e histórico de cada estudante. Isso pode facilitar a cobrança educada e profissional, levar à quitação e evitar, inclusive, um não-pagamento total no futuro.

Outra vantagem de contar com um CRM é que ele ajuda a detectar a precificação ideal nas mensalidades, a partir do cruzamento de dados de pagamento. Isso, no entanto, também exige uma pesquisa de mercado para verificar a qualidade do serviço oferecido.

Existem outras atitudes que podem ser tomadas a fim de diminuir a taxa de inadimplência, como oferecer promoções para quem opta por formas de pagamentos recorrentes — como o cartão de crédito —, brindes para quem está em dia, negociar as dívidas passadas com desconto, dentre outras ações que a escola pode tomar para assegurar que esses indicadores fiquem sob controle.

Como você pode ver, o índice de inadimplência escolar deve ser levado muito a sério pela instituição de ensino, pois é um dos principais indicadores sobre a saúde financeira da escola e serve para estabelecer diretrizes importantes e garantir tomadas de ações mais estratégicas.

Gostou deste texto? Então, aproveite para se aprofundar ainda mais no assunto, conferindo o nosso guia completo para evitar a inadimplência escolar!

Veja nosso vídeo relacionado: