planejamento escolar

Planejamento Escolar: que tipo você adota?7 min read

Planejar é antecipar uma prática, ou seja, é prever e programar as possíveis ações para chegar a um resultado desejado, o que permite à equipe gestora ter um caminho para a tomada de decisões.

Mas, e se não houver um planejamento? Sem uma organização adequada, o barco vai ao sabor do vento — e, em uma unidade escolar, isso não é nada bom. Não é possível trabalhar na base do improviso ou da reprodução de planos anteriores (mesmo que tenham dado certo), sem avaliar o resultado do método

Saiba mais:
Como fazer o planejamento para a rematrícula escolar?
Como ter um planejamento financeiro eficaz na sua escola?
Replanejamento escolar: como organizar os setores no segundo semestre?

A principal finalidade do planejamento escolar é fazer uma análise sobre o conteúdo de cada disciplina, com base nas orientações do MEC, além de avaliar quais serão os conteúdos extras. Outro propósito é decidir sobre a forma de progressão dos alunos, que dependerá da avaliação da equipe pedagógica.

A seguir, mostraremos dois tipos de planejamento escolar e qual é a melhor maneira de elaborá-los com eficiência. Acompanhe a leitura!

Quais são os tipos de planejamento escolar?

Neste post, trazemos duas opções para a administração, com algumas diferenças e possibilidades: o planejamento participativo e o estratégico. Cabe ao gestor analisar o cenário e escolher a melhor alternativa para a unidade escolar e para os alunos nela inseridos.

Planejamento participativo

O planejamento participativo é a melhor tradução da democracia na escola. Nesse modelo, todos os envolvidos — professores, funcionários, diretores e alunos — participam das decisões e são responsáveis por estabelecer as prioridades. A participação de grupos de diferentes segmentos da comunidade escolar no processo é um fator relevante para que ele dê certo, pois agrega compromisso e corresponsabilidade na consecução de metas.

O objetivo desse tipo de gestão é buscar atender às demandas sociais da comunidade na qual a escola está incluída, já que todo processo educativo está diretamente ligado à contextualização social.

Mas não é em qualquer escola que o planejamento participativo dá certo. Há um requisito essencial para que o modelo funcione de forma eficaz: todos precisam estar informados sobre aquela realidade escolar. Somente dessa forma é possível diagnosticar os problemas, estudá-los e apontar soluções.

Para que o planejamento participativo tenha uma base sólida, algumas informações são extremamente importantes e servirão de guia para o trabalho como um todo: é preciso saber mais sobre a comunidade, pesquisar sobre o local e ter informações da realidade que se apresenta e do que é pretendido em curto prazo.

A gestão participativa traz uma série de benefícios para a instituição, especialmente ao aprendizado, com foco em valores, tais como cidadania, organização e gestão. Talvez, a maior vantagem seja a construção da cultura do planejamento coletivo, que intensifica práticas democráticas e fortalece a distribuição horizontal do poder de decisão.

Planejamento estratégico

No planejamento estratégico, o esquema é um pouco diferente. O poder de decisão é concentrado em uma só pessoa, normalmente o diretor da instituição. O modelo é baseado em métodos qualitativos e quantitativos.

Vale ressaltar que essa abordagem foca em resultados futuros. Por isso, é importante, primeiramente, analisar os pontos fracos e fortes, as oportunidades oferecidas e as restrições apresentadas no ambiente. Indicadores e metas organizacionais medem a missão, visão do futuro e valores que dão o norte a essa realidade.

É preciso analisar o mercado (com foco nos concorrentes), o panorama financeiro, a satisfação dos clientes e as percepções sobre a instituição, além de realizar um estudo sobre diferenciais e política de investimento. Depois, você pode partir para as metas.

Temas importantes, como gestões administrativas, financeiras, pedagógicas, de infraestruturas, de relacionamento com a comunidade e com os alunos e de resultados, são verificados a partir da matriz SWOT — sigla em inglês que representa Strength (Força), Weakness (Fraqueza), Oportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

Normalmente, o modelo estratégico costuma ser bastante popular em comunidades acadêmicas e empresariais. No entanto, pode ser adotado independentemente do tamanho da escola ou do seu tipo — pública ou privada.

Como fazer um planejamento escolar eficiente?

Você deve estar se perguntando qual é o melhor modelo de planejamento para a escola. Isso é uma questão que vai ter que descobrir com base nas características da sua instituição e na forma como os gestores se relacionam com a comunidade. A realidade de cada escola deve ser planejada de acordo com as suas particularidades.

Seja qual for o modelo escolhido, a elaboração do planejamento escolar deve seguir alguns requisitos básicos.

Analise dados recentes com planejamentos anteriores

Para que qualquer decisão seja bem-sucedida, a análise de dados é essencial. Portanto, verifique quais foram os resultados atingidos em anos anteriores. Esse procedimento é importante para identificar ações que não devem ser repetidas. Outro benefício dessa análise é encontrar pontos que necessitem de mudanças ou aprimoramento.

Insira no planejamento metas realizáveis

De nada adianta estabelecer metas inatingíveis. Para ter sucesso no que foi planejado, é essencial que as ações a serem tomadas no planejamento sejam possíveis de executar. Para garantir esse requisito, estabeleça ações objetivas, ou seja, que tenham um propósito claro e bem definido.

Outra característica que a meta deve conter é a possibilidade de ser mensurada. Dessa forma, é possível acompanhar a sua evolução, bem como analisar o seu desempenho. Além disso, as metas também devem ter prazos determinados.

Reavalie o que já foi feito

Fazer avaliações periódicas é a melhor maneira de identificar e corrigir falhas ou uma oportunidade para ampliar melhorias. Para isso, marque reuniões com a equipe pedagógica a cada bimestre e analise tudo o que já foi feito. Esse procedimento também é importante para identificar se houve algum incidente que tenha ocasionado uma alteração no planejamento inicial.

Concilie o planejamento com o interesse da comunidade

A escola deve analisar o interesse de todos os envolvidos direta e indiretamente a ela, o que inclui os pais e a comunidade ao redor. É importante ouvir a opinião de outras pessoas, para que seja possível perceber a necessidade das demandas externas e tornar o planejamento escolar mais democrático.

Faça uma avaliação dos resultados

Quando se faz um planejamento escolar, é muito comum introduzir mudanças ou alterações no plano que devem ser acompanhadas periodicamente. Além disso, é preciso fazer uma avaliação sobre esses pontos, a fim de identificar a necessidade de mudança ou adaptação.

Na avaliação dos resultados, o ideal é acompanhar as metas que foram definidas no início do processo, bem como as datas previstas para cada uma. Dessa forma, será possível identificar eventuais atrasos ou imprevistos com maior precisão.

Ouvir a opinião externa também é importante para avaliar se as mudanças foram aprovadas e tiveram o sucesso esperado. Portanto, converse com pais, alunos e comunidade.

Estabeleça um cronograma

O cronograma é uma ferramenta essencial na elaboração de um planejamento escolar. Seu objetivo é determinar as datas importantes que envolvem o calendário, como definição de data de reuniões escolares e pedagógicas, datas de início e término das aulas, bem como todas as atividades complementares necessárias.

Além disso, deve constar qualquer informação que seja importante para a organização das atividades, como período de férias, feriados ou recessos.

Como vimos, novas formas de administrar são bem-vindas, mas é importante ter organização, seja qual for o tipo de planejamento escolar adotado. A instituição precisa de um cronograma e alinhamento de informações para que os bons resultados sejam alcançados.

Gostou do nosso conteúdo sobre planejamento escolar? Então, siga-nos no Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn, e acompanhe as nossas publicações!

Qual é o melhor modelo de planejamento escolar?

Aí você deve estar se perguntando: qual é o melhor modelo de planejamento para a minha escola? Isso é uma questão que você vai ter que descobrir com base nas características da sua instituição e na forma como os gestores se relacionam com a comunidade. A realidade de cada escola deve ser planejada de acordo com as suas particularidades.

Novas formas de administrar são bem-vindas, mas é importante ter organização, seja qual for o tipo de planejamento adotado. A escola precisa de um cronograma e alinhamento de informações para que os bons resultados sejam alcançados.

Agora, pense, avalie e conte para a gente: como tem sido experiência de planejamento escolar na instituição de ensino em que você trabalha?