mediação escolar

Por que você deve investir na mediação escolar?

A escola é um ambiente em que ocorrem diversos tipos de conflitos que, se não forem devidamente observados e tratados, podem se transformar em grandes problemas. Muitas instituições utilizam a mediação escolar como uma forma de solucionar atritos e tornar a convivência entre todos mais harmoniosa e saudável.

Ao inserir o papel do mediador, a escola ajuda os seus alunos a melhorar o modo como lidam com conflitos. Dessa forma, permite o distanciamento de atitudes e atos violentos que podem ser prejudiciais para todos. Assim, investir nesse instrumento é uma forma de melhorar o ambiente escolar por meio de práticas e processos capazes de desenvolver o comportamento e a interação social.

Saiba mais:

Por que as escolas devem adotar modelos de comunicação online?

8 dicas para melhorar o relacionamento entre família e escola

Projeto político pedagógico: a importância de traçar rumos para sua escola

 

A seguir, mostraremos como funciona esse processo na prática, bem como por que ele é importante para a resolução de conflitos. Acompanhe a leitura!

Entenda como funciona a mediação aplicada na prática

Em um ambiente escolar, existem diversas situações que podem gerar conflitos — e a mediação é uma forma de lidar com esses problemas. Por meio dela, procura-se encontrar um ponto de equilíbrio entre as partes que estão em desarmonia.

A mediação procura transmitir aos envolvidos a ideia da importância do respeito mútuo, da comunicação como a forma ideal para a resolução de problemas e a demonstração de que a compreensão sobre a visão do outro e a aceitação de diferenças é parte fundamental para lidar com divergências.

Basicamente, o papel do mediador é encontrar uma maneira de fazer com que as partes envolvidas encontrem uma solução pacífica para a sua divergência. A principal ferramenta para a mediação é o diálogo, e o que se pretende é criar um ambiente colaborativo, que contribua para a formação de cidadãos com uma visão mais justa e solidária.

Saiba qual é a sua importância na redução de conflitos

Os membros mediadores podem ser professores, alunos ou qualquer outra pessoa do ambiente escolar. Sua principal função é a de reforçar a ideia de que precisamos conviver em um ambiente de paz e harmonia entre todos, bem como transmitir aos estudantes a importância e os benefícios que a aplicação desse método proporciona para qualquer situação de conflito.

Para que a mediação tenha sucesso na redução de hostilidades, é fundamental que todos da instituição de ensino, alunos e familiares se envolvam no processo. Isso porque muitos casos podem ter origem externa.

Dessa forma, a participação da família ajuda a identificar e corrigir comportamentos que possam tanto ser de causadores de conflitos como de vítimas, como no caso de alunos que sofrem bullying e seus agressores.

Cada instituição pode aplicar o programa de mediação escolar para atender a objetivos específicos para o seu ambiente em particular, entre eles:

  • aumentar o sentido de cooperação entre os alunos e a escola;
  • fazer com que os alunos consigam identificar e resolver problemas com mais facilidade;
  • reduzir atritos e desavenças na comunidade escolar;
  • promover maior engajamento entre os alunos;
  • melhorar a comunicação escolar.

Conheça alguns casos que podem necessitar de mediação escolar

Existem diferentes tipos de conflitos em que a atuação de um mediador pode ser a melhor maneira de resolvê-los. A seguir, veja alguns deles.

Casos de indisciplina

Os problemas com alunos indisciplinados são muito comuns nas escolas. Há casos em que praticamente toda a turma participa da bagunça, outros em que o próprio professor não é capaz de conter o problema. Nesse cenário, a mediação é uma alternativa para a resolução do conflito.

É preciso identificar as causas e consequências da indisciplina, bem como envolver a participação de mediadores nesse processo. Por isso, é preciso, também, definir responsabilidades, de modo que todos possam enfrentar o desafio e buscar formas de resolver o impasse, além de se comprometerem com a solução do problema.

No entanto, a prevenção é sempre a melhor maneira de evitar problemas. Para isso, o diálogo constante sobre as causas da indisciplina e as consequências que ela pode proporcionar — tanto ao aluno quanto aos professores — devem ser temas de debates constantes na escola.

Essa é uma excelente oportunidade para que a escola entenda o que se passa na cabeça dos alunos, busque ações preventivas e, até mesmo, ouça sugestões dos próprios estudantes.

Problemas com bullying

O bullying é outro problema muito sério que, se não for observado e tratado com o devido cuidado e atenção, pode causar consequências graves às suas vítimas. Essas, muitas vezes, sofrem em silêncio enquanto outros alunos praticam atos de violência física ou moral.

O fato mais grave do bullying é que, muitas vezes, ele não é percebido pelas pessoas responsáveis na escola, como professores e coordenadores. Assim, quando a instituição tem a ciência do fato, muitos problemas já podem ter acontecido.

Nos dias atuais, a adversidade pode extravasar a sala de aula e parar em redes sociais, que é o chamado cyberbullying. Em todas essas situações, o papel da escola é muito importante, desde a identificação do problema até a resolução do caso.

Nesse cenário, o papel do mediador também é essencial e, mais uma vez, o diálogo é a ferramenta principal para a resolução do atrito. Logo que identificado, a escola deve ouvir o que todos os envolvidos têm a dizer sobre o assunto. É importante que nenhum partido seja tomado, para que os fatos possam ser devidamente esclarecidos.

Depois de ouvir e entender ambos os lados, o mediador deve fazer com que o agressor consiga perceber o mal que a sua ação pode causar na vida de outra pessoa. É importante buscar um entendimento, de modo que a paz possa ser restabelecida no ambiente e que todos possam conviver em harmonia.

Alunos com deficiência física

A figura do mediador também pode ser utilizada para a inclusão de crianças com deficiência física no ambiente escolar. Pode acontecer de elas terem dificuldades de adaptação, por isso, é preciso que consigam interagir com outros alunos e professores, bem como possam aproveitar os ensinamentos em sala de aula.

Todas as crianças com deficiência física têm o direito a um mediador em sala. Seu papel é garantir que todo o aprendizado seja traduzido para ela, de modo que consiga entender e participar da aula. Portanto, essa é uma maneira de fazer com que o aluno participe do ambiente escolar e possa interagir com tudo e todos à sua volta.

A mediação escolar é uma ferramenta fundamental para a escola. Ela tem como base o diálogo, a observação e o incentivo às boas práticas de convivência. Por essa razão, as instituições devem sempre resolver os conflitos da melhor maneira possível, de modo que todos possam conviver em harmonia e com respeito mútuo.

Gostou do nosso conteúdo sobre conflitos na escola? Então, assine a nossa newsletter e receba nossas atualizações em seu e-mail!