escola inclusiva

10 dicas certeiras para tornar sua escola inclusiva6 min read

Todos os pais e responsáveis, ao procurar uma escola para as suas crianças, buscam pelos mesmos objetivos: aprendizado de qualidade, cultivo de amizades, valorização emocional e educativa, e assimilação dos conteúdos dados. Isso é especialmente relevante quando falamos sobre uma escola inclusiva.

Quando lidamos com crianças com deficiência. É preciso adequar o ambiente escolar para que elas tenham as melhores chances de êxito. Isso não se limita apenas à estrutura física da escola. Mas também aos treinamentos dos funcionários e professores. E à compreensão dos demais alunos sobre a importância de ter um ambiente verdadeiramente inclusivo.

Portanto, cabe aos gestores escolares primar por adaptações que vão da acessibilidade física, do treinamento de pessoal e da mudança de cultura. Quanto ao atendimento especial que deve ser prestado às crianças com deficiência. Isso não apenas pode abrir um importante nicho de estudantes, como ajuda na imagem da instituição dentro da responsabilidade social.

Saiba mais:

Práticas tecnológicas na educação inclusiva nas escolas

O guia completo de gestão democrática nas escolas

O que é política de inclusão social

 

Para isso, confira, na continuação de nosso artigo, 10 táticas que os gestores escolares podem utilizar para que sua instituição seja inclusiva de fato!

Confira agora 10 dicas essenciais para a inclusão:

1. Adapte a sua escola

Em primeiro lugar, é impossível ter uma escola inclusiva se ela não estiver devidamente adaptada para receber crianças com deficiências. Para tanto, é importante ter rampas de acesso ou elevadores, guias de chão, barras de apoio, corrimãos específicos, carteiras escolares adequadas e outras formas de acesso físico para esses alunos.

Portanto, certifique-se de ter corredores, bibliotecas, banheiros e outros locais de uso comum adaptados para os alunos de inclusão, a fim de que eles possam trafegar livremente por sua instituição.

2. Crie um ambiente inclusivo

Uma escola inclusiva vai muito além das adaptações físicas necessárias para o tráfego e uso da estrutura. É igualmente importante promover um ambiente de respeito, aceitação, tolerância e aprendizado.

É importante promover semanas de conscientização com posters e cartazes, participar de eventos externos que mostrem essa preocupação da instituição. Utilizar material didático que traga a questão da inclusão de pessoas com deficiência, usar recursos como filmes e palestras, além de outros materiais que demonstrem a diversidade.

As crianças, bem como seus pais, devem sentir no ambiente escolar esse acolhimento e essa postura pró-inclusão. Que também precisa se fazer presente no dia a dia da escola, no tratamento dispensado aos responsáveis e, especialmente, às crianças com deficiência.

3. Convide a comunidade

Uma excelente forma de demonstrar que existe uma postura pró-inclusão. É envolver a comunidade nas atividades da escola. Por exemplo, trazer pessoas adultas com deficiência para falarem a respeito de sua vivência, experiências e como lidar com problemas usuais.

Esse tipo de abordagem costuma ser simpática e cria uma abertura para que os palestrantes também respondam às possíveis curiosidades e dúvidas que alunos e pais possam ter em relação às dificuldades e necessidades de uma criança com deficiência.

4. Prepare os pais para a inclusão

Muitas vezes, os pais de crianças com deficiência têm grande dificuldade em confiar nas instituições de ensino para os devidos cuidados necessários. Por isso, o trabalho com eles é de suma importância para uma escola inclusiva.

A participação dos responsáveis é muito mais ativa quando falamos de crianças com deficiência. Para além disso, os pais das outras crianças da escola também devem receber boletins informativos, serem convidados a participar dos eventos e preparados para ajudar na adaptação dos filhos aos novos amigos com necessidades especiais.

Ou seja, ao se preparar os pais para a inclusão, todos ganham: quem convive com pessoas deficientes tende a aumentar a sua inteligência emocional, o que é bom para qualquer pessoa.

5. Oriente seus professores e sua equipe

Mais que os pais e os demais alunos, é muito relevante ter uma equipe de profissionais treinados para lidar com crianças com deficiência. Isso envolve capacitação e treinamento dos professores, funcionários, equipe administrativa e todos do quadro da escola, inclusive fazendo parte da avaliação de desempenho.

Dentre as diversas atitudes necessárias, deve-se cuidar para que os seus professores e funcionários evitem rotular os alunos especiais, tenham conhecimento para lidar com as necessidades deles e acreditem no potencial que eles possuem.

Prepare a equipe da sua escola inclusiva para que seus alunos especiais sempre participem da aula e das atividades devidamente adaptadas para eles. Incentive o trabalho em grupo e o auxílio mútuo.

6. Explore o tema da inclusão

O tema da inclusão deve fazer parte do projeto político-pedagógico da escola. Ou seja, o ideal é que se insira no currículo escolar atividades que abranjam o tema da inclusão, a fim de que os alunos possam refletir sobre as diversas necessidades especiais e quais os desafios a serem enfrentados. Isso ajudará a criar a consciência que deve permear o ambiente educacional e fazer com que essas crianças com deficiência se sintam mais integradas e acolhidas.

7. Ensine a postura a ser adotada

Outra importante atitude a ser tomada para tornar sua escola inclusiva é orientar seus professores para não terem uma postura de pena ou de rejeição para com os alunos especiais. Claro que devem ser respeitadas as limitações inerentes a eles, mas cabe aos profissionais tratá-los da mesma forma que tratam os demais alunos, dentro das possibilidades.

8. Evite o preconceito

Também cabe à escola ter uma política bastante rígida e enérgica com as formas de preconceito que podem surgir. Logo, uma gestão escolar eficiente deve ficar atenta a qualquer forma de discriminação ou bullying. A fim de evitar esse tipo de comportamento. Uma vez identificado, trate tais episódios imediatamente e com a seriedade de que precisam.

O bullying é, afinal, um dos maiores problemas que os responsáveis legais pelos alunos enfrentam e se preocupam na hora de escolher a escola dos filhos. Ou seja, tenha uma posição firme, séria e bastante sólida quanto ao preconceito.

9. Prepare um cantinho especial

Dentre as atitudes a serem tomadas em casos de crises ou problemas decorrentes da deficiência. É sempre importante que a escola conte com um local específico para que a criança com necessidades especiais se acalme, caso necessário. Dependendo da situação, algumas delas podem ficar agitadas, e um local afastado e tranquilo poderá ajudar.

10. Inspire seus professores

Cabe aos gestores escolares e às coordenações pedagógicas ajudar seus professores a usarem a criatividade com recursos visuais, gestos e sinais para facilitar a compreensão da matéria e aumentar o engajamento, não só dos alunos especiais, mas também de todos os estudantes, em geral.

Com essas 10 dicas, já é possível preparar-se para tornar a sua escola inclusiva e, quem sabe, um modelo a ser seguido nesse campo. Não se esqueça, porém, de buscar constantemente por mais conhecimentos dessa área. Afinal, trabalhar com pessoas especiais é um desafio extremamente gratificante.

Mostre que essa é uma preocupação da sua escola e da equipe da sua instituição, compartilhando este artigo em suas redes sociais!